CERRAR X

Contáctanos

Completa el  formulario, y nos pondremos en contacto.

Gracias! Nos pondremos en contacto.

Oops! Tente novamente

Taller Mucho con Poco Rio do Janeiro, 2015

19/8/2015

Durante os dias 18 e 19 agosto de 2015, Rio de Janeiro será o cenario de mais um encontro Mucho con Poco em Brasil.

Asuntos del Sur realizará uma nova oficina em parceria com Círculos de Cidadania, Periféricos.JOR e Midia Étnica.

Reconhecida internacionalmente como uma das cidades mais belas e cosmopolitas da América Latina, o Rio de Janeiro é também lembrado pelos seus elevadíssimos niveis de violência, desigualdades, seus programas de segurança falidos e a sistemática violação dos Direitos Humanos, através de atuações do estado contra os cidadãos.

Diante dos crescentes niveis de violência no país, observamos a emergencia de dois discursos que competem pela definição dos conceitos de direitos humanos e cidadania. Por um lado, ativistas, profisionais de diversos setores e alguns deputados destacam-se pelas suas árduas trajetorias em defesa dos Direitos Humanos. Estes atores advogam contra as discriminações, a favor da efetiva implementação do estado de direito no país. Segundo eles, o estado deve ser o principal agente garantidor da integridade das pessoas e dos direitos de cidadania.

Por outro lado, no imaginario popular vem se propagando a ideia de que a humanidade e o direito à integridade física devem ser condicionados ao cumprimento de alguns preceitos legais, sobretudo no que se refere ao respeito à propriedade privada. Neste sentido, alguns discursos, como o tão repetido refrão “bandido bom é bandido morto” e a ideia de que os defensores dos direitos humanos são protetores de criminosos, ganharam muita popularidade ao longo dos últimos anos. A negação ideológica dos direitos humanos, especialmente através de alguns discursos políticos e midiáticos de reprodução massiva, chegam a niveis tão preocupantes que levam à banalização da violência institucional do estado, que opera sistematicamente contra os grupos sociais mais vulneráveis.

Atravessados pela violência e envolvidos em situações de exclusão, surgem ações afirmativas e inovadoras que tratam de mudar estas situações. Desde recantos alternativos, atores impulsionam processos criativos. São aqueles que geralmente vêm violados seus direitos os que não descansam, acompanhados em suas lutas pelo uso inovador dos elementos que encontram ao seu alcance e carregados com uma fortaleza que rompe estruturas de poder sedimentadas.

Neste contexto, Asuntos del Sur, juntamente a diversos coletivos de atores sociais brasileiros e de outros países latinoamericanos, propõem destacar as problemáticas que configuram-se como barreiras à efetiva implementação dos Direitos Humanos em contextos de violência urbana e institucional, no Brasil de hoje.

OBJETIVOS:

Esta oficina busca contribuir ao intercambio de experiências de ativistas comprometidos com a defesa dos Derechos Humanos e de cidadania. Assim mesmo, será um dos nossos horizontes a geração de redes de trabalho para o fortalecimiento das ações dos movimentos sociais, que contribuen ao fortalecimento das democracias através do uso de recursos inovadores.

OS PAINELES:

Confluências: espaços em rede para democratizar o poder

Gambiarra, tecnologia social e ferramentas digitais

Inovação e (des)ordem: protestos e resistência

Novas fronteiras urbanas: a inovação social das comunidades

LOCAL:

Fundação São Martinho (www.saomartinho.org.br)

INSCRIÇÕES:

Si precisa de mais informaçao mande um email a info@muchoconpoco.org

Mucho con Poco en México, Cuidad de Oaxaca

June 14, 2013

En el marco del proyecto Mucho Con Poco, Asuntos del Sur organizó talleres con jóvenes activistas de todo México. El objetivo de esta actividad es trabajar en conjunto, compartir experiencias y transmitir herramientas a organizaciones sociales que buscan la mejora de la calidad democrática en sus comunidades. La ciudad de Oaxaca en México se convirtió en sede del primer espacio de encuentro y logró reunir a jóvenes de diversas regiones del país, del Distrito Federal, Guadalajara, Puebla, Oaxaca, Jaltepec entre otras. Todos pertenecientes a instituciones sociales diversas que comprendían desde las universidades como la UNAM, ITESO, la Universidad Iberoamericana Puebla, la Universidad Mesoamericana, el Instituto Intercultural Ayuuk, hasta encontrarse miembros de movimientos juveniles como el Movimiento Estudiantil YoSoy132, también participando jóvenes de proyectos en formación como el Proyecto Diarios de la Nación, involucrándose asimismo jóvenes de organizaciones indígenas como Ku’untik.